O que poucos te dizem sobre casar:

Casei tem alguns meses, na verdade  estou quase em lua de mel ainda. Entretanto nesses meses aprendi mais coisas do que em anos. Casamento sempre foi um sonho, desde que me entendo por gente,  tendo minhas barbies e vendo o cigano na novela. (kkkkk que vintage!) Heii, sou pirralha nesse assunto, eu sei, mas já aprendi algumas coisinhas que pouca gente me falava sobre casamento. Ou diziam que eram simplesmente bom, ou que era insuportável e que dava tempo de desistir.  Eu tenho minhas conclusões…

Casar é bom, muito bom! Não somente pela realização sexual,  por dormir e acordar com quem você ama, mas por ter uma necessidade quase vital de se reavaliar e crescer. Casamento não é fácil, na verdade se relacionar não é fácil, com ninguém, até mesmo com o amor da sua vida. São costumes, jeitos, criações, manias diferentes que se unem debaixo do mesmo teto e resolvem não viver mais só, mas sim juntos. São duas pessoas que se tornam uma diante de Deus, mesmo com todas suas diferenças de gênero, pensamentos, gênios. Pessoas que escolhem se amar e fazer dar certo, essa historia que tinha tudo para dar errado, se não fosse um projeto financiado por Deus. É uma relação de entrega constante, de altruísmo, de reavaliação e de perdão diário. Acho que de tudo o que se pode pensar perdão é o sentimento que mais se usa dentro do casamento. São tantos embates, são tantos conflitos assumem.  E as responsabilidades? Até ontem você mal sabia o preço do sabão em pó, e hoje você já sabe o dias das promoções de mercado, o preço da carne, do feijão e onde é mais barato. Você economiza luz, porque agora sabe o preço da conta da Light, você valoriza não jogar comida fora, pq sabe muito bem o preço daquilo, você aprende a largar mão da compulsão de comprar pois agora sabe que existe contas fixas de casa para pagar. E aquela pizza todo fim de semana? Você começa a repensar porque com aquele dinheiro dá pra fazer a feira da semana toda. Você cresce em um mês o que levou um ano. Você se debate dentro si, por não ser mais o “filhinho da mamãe” e agora ser o esposo/esposa de alguém. Você agora se preocupa com  casa, limpeza, almoço/jantar, com o remédio que não pode esquecer de tomar, e a sensação de todo mês achar que está grávida, se preocupa com as contas, com as compras, com seus sonhos, com os sonhos dele, com a nossa vida e não mais somente a minha.

Você que antes pensava e sempre lhe falavam que discutir era ruim, entende que isso no casamento na verdade é vital. Se não aqueles mal entendidos, indagações e reclamações acumulam e um dia alguém explode. E o desafio de não tornar toda discussão em uma briga? Dificílimo!  Há  um abismo de diferenças entre essas duas palavras, fique sabendo.Depois da briga, você não pode mandar ele embora pra casa e depois se reconciliar com uma ligação ou torpedo, pq agora a sua casa é a casa dele. E vocês terão que conviver, se resolver pois se não fica impraticável viver junto, e aí entra o perdão. Quase diariamente. Casar é aturar manias que só a mãe dele conhecia, aturava e brigava. É quando você se ver reclamando da toalha na cama, do lixo que não colocou pra fora, da louça do jantar suja na pia. Casar é na verdade descobrir que você tem mais da sua mãe do que você imagina. Casar vai além do conto de fadas.

Casar é todo dia aprender o que é submissão ao seu marido. Essa palavra que se tornou tão pejorativa com o passar dos anos, desenhando essa posição como fraqueza, estar um nível abaixo, inferioridade. Quando na verdade no casamento, você  enxerga o quanto ela é importante. Não é fácil. É uma luta diária, dizer não a essa “Jezabel”, que resiste em gritar, falar mais alto, brigar, bater o pé e disputar poder. Não é fácil, você saber retroceder em uma briga e não tornar seu casamento em um duelo invés de uma parceria. É dificil saber se posicionar sem agredir, confrontar em amor, perdoar e entender o tempo e ritmo de crescimento/assimilação do outro, que nem sempre é igual ao seu.  Saber que quando o que você acredita e prega, precisa ser vivido dentro de casa ainda mais. Quando você coloca seu marido como cabeça, sabendo que seu incentivo e submissão ajuda ele a tomar posição de protetor. E também tem o trabalho inverso dele de te transmitir confiança o bastante para confiar nele, de entregar o controle.

Dá trabalho casar. Casar é pra gente “grande”. Não só de tamanho, mais de coração, de paciência, de disposição, de entrega e também de amor. O amor é importante pow! Mas casamento não é feito só de amor, existe outros sentimentos, atitudes e escolhas que precisam ser atrelados a ele. Casamento vai além de acordar junto, com café da manhã na cama. É ver amor na rotina, no dia a dia, no mau hálito matinal, na companhia do outro, no conviver juntos. É difícil ser abrigo, porto seguro no momento mais fraco e vulnerável. É difícil lidar com as frustrações que o outro produz, e que você também causa. Empatia é um sentimento diário, o não pensar só como eu, mas sim como nós. Que parece poético ao ser dito, mais é um desafio a ser vivido.

Sempre que converso com meu marido, falamos que casamos no tempo certo. No sentido de ter conseguido viver minha infância, adolescência e parte da juventude com alegria e realização. Aquela sensação de ter terminado fases, ciclos e entrar no casamento pronto para essa nova fase que começa sem pendências, se posso assim dizer. O casamento não foi uma forma de tapar um buraco das outras etapas, uma fuga da casa dos pais, um grito de liberdade, foi uma escolha de partilhar a vida que já era boa, agora juntos.

Casar é maravilhoso, mesmo com todos os perregues é a melhor escolha que já fiz. Porém é longe de ser fácil! E muito distante do “inferno” que muitos pregam. Ando acreditando que casamento é a melhor escola de crescimento espiritual, emocional e psíquico do mundo. HAHAHA’ Quando estamos dispostos a evoluir e fazer dar certo. A intimidade compartilhada, a casa quem tem a cara de vocês dois, a tranquilidade de saber que o outro está ali, o acordar de um pesadelo e ter quem abraçar ou simplesmente esquentar o pé nas madrugadas frias, assistir séries juntos, o orar juntos são coisas incríveis. Casar é maravilhoso, acreditem! Mas não é fácil….  Ahh e também nem todo casamento é igual, cada casal tem um jeito, um tática, um plano ou rotina que dá certo e nem sempre o que serve para um , serve para o outro. E viiish dá trabalho descobrir o que dá certo para vocês.

Ufa! Casar é bom, encontre o amor da sua vida é case-se com ele, mas não é facil  depois não diga que não te avisaram. kkkkkkkk

 

Com amor,

 

Duda Borges Oliveira (agora)alainacas

 

TAMO DE VORTAAAA!

Meu Deeeeus!

Quatro anos desde o ultimo post. A vida voa, o tempo não para… Em quatro anos, me formei, casei, tanta coisa mudou, tanta coisa esqueci… aprendi. A vontade de escrever retornou como cartase. Escrevendo penso melhor, me escuto. Mesmo que ninguém venha, mesmo que ninguém leia, é bom reler. Vejo textos aqui de 2012 e me repenso, o quanto cresci, mudei e o quanto o ser humano é uma metamorfose ambulante.

Bem vindo querido diário. (novamente, até quando não sei…)

Tentativas, esperas e escolhas.

Uma hora as coisas cansam, ou tem  que parar, de dar errado. Antes de dar certo tudo antes exige um processo. Todo mundo carrega um histórico de frustração, perda e erro antes de alcançar aquilo que se queria. Um punhado de tentativas faz parte do processo de aprendizagem.  A gente cai, quebra a cara e rala o joelho bastante antes de aprender a andar sozinho. E quando pensamos que não, quando o coração distrai a “sorte”, o amor, o final feliz e aquilo tanto um  dia desejado vem. Quando a gente se acalma se preocupamos menos  paramos de gritar e fazer pirraça. Aprendemos a  lição e recebemos a recompensa quando crescemos. Sem essa aprendizagem, sem ler o manual poderíamos quebrar o “brinquedo”. Mas será que deveria ser assim? Será que para aprender precisamos sofrer? Quebrar a cara e errar bastante?

A quem diga que inteligentes aprendem com seus erros e sábios com os erros dos outros. Não precisaríamos ir lá, prosseguir em um caminho que já vimos outras pessoas irem e se darem mal. Não precisaríamos cometer os mesmo erros, as mesmas falas, falhas e equívocos se já vimos outros seguirem a mesma cartilha e se frustrarem. Mas por que fazemos isso? Por que seguimos?

Porque ser humano gosta de pagar pra ver.  A gente carrega a esperança de que acontece com todo mundo menos conosco  – Comigo vai ser/seria diferente – diríamos.  Então vamos lá, tentamos, se desgastamos, sofremos e se frustramos. Há seres inteligentes que aprendem com o erro e buscam outros caminhos. Há quem prossiga tentando no mesmo caminho e esperando resultados diferentes.  É coisa de gente. Dizem que gato escaldado tem medo de agua fria, ser humano não. Por mais que quebremos a cara tentamos outras vezes pagando pra ver. E se prender ao medo ganho na ultima frustração, não tentando outra vez, soa como covardia e dói mais do que ir lá e não conseguir.

Gente é assim. Não precisaríamos passar por certas situações ou dores, mas passamos por conta dessa esperança de que pode ser diferente, tudo pode mudar. A opção de dar certo nos motiva a tentar. E tentamos. Às vezes conseguimos outras não, mas tentamos.

Em um desabafo com um amigo disse que sairia de uma situação com a certeza de que tentei, fiz o que podia, mas não deu. Sairia com a consciência limpa e sem os “e se…” que podem nós perseguir a vida toda. Ele argumentou sobre a vergonha, a burrice e até frustração dessa minha tentativa, respondi que sairia com a consciência limpa de que tentei e fui real, por isso valeu a pena. Tem situações que precisamos pagar pra ver. Há situações que valem o risco, valem a pena a tentativa. Outras não. “Pelo andar da carruagem você já sabe quem vem dentro dela. “ E nós sabemos quando algo vale a pena, é verdadeiro ou não, porém muitas vezes preferimos se enganar.

As vezes o que precisamos é pensar. Pensar se aquilo é o que queremos mesmo. Se vale a pena o esforço. Se é real. E se você tem relacionamento com Deus, saber se aquilo é o que Ele quer pra você. Eu sei que esse papo todo parece desabafo de fim de namoro, mas não. Essas tentativas, frustações e riscos envolvem tudo. Desde a carreira que você quer seguir até o caminho que você resolve fazer na volta pra casa.  São escolhas que envolvem desde o roteiro para o próximo feriado até o destino da tua alma. São escolhas, e uma escolha pode mudar tudo pra melhor ou pior.

Andei lendo que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus. TODAS as coisas, até os seus erros de percurso e tentativas frustradas. Deus pode pegar esse punhado de coisas e transformar em experiência, te fazendo até enxergar coisas que você não enxergaria se tudo tivesse certo. Tornando-te adulto através dessas coisas. Essa não seria a melhor forma de aprender a lição, mas você quis assim, então Ele faz tudo cooperar para o seu bem pois  você o ama. E você só o ama pq Ele te amou primeiro.  Então Deus vai lá, te ensina, te limpa, corrige e te mostra o caminho certo a seguir. Dando novamente as escolha em suas mãos,  de aprender com o erro ou continuar dando murro em ponta de faca.  Ai, ai… ESCOLHAS.

Como já disse  tem situações que queremos, não precisamos, pagar pra ver. Há situações que valem o risco, valem a pena a tentativa. Outras não. “Pelo andar da carruagem você já sabe quem vem dentro dela. “ .Repetindo.

Tentou, mas não rolou? Bola pra frente. Arquiva como experiência.

Só não se pode matar a esperança de que as coisas podem mudar, pra melhor de preferência, sempre. Tudo  vêm quando tem que vir e se não veio até agora é porque não é a hora ainda. E só Deus sabe quando será, o que sobra é utilizar esses tempos de esperas como escola para aperfeiçoar quem você é ou faz. Se distrair para apressar, é um truque. Desde a vinda do carinha, viagem, facul, cura, libertação, milagre, FDS até o arrebatamento há períodos de espera. Vivemos em meio a esperas. Vamos se deixar sufocar por elas?

“Mas os que confiam no Senhor, renovarão suas forças. Subirão com asas como de águia. Correrão e não se cansarão, caminharão e não se fadigaram.”

Isaías 40.31

Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor…”

Salmos 40.1

Apenas uma vida, que a façamos valer a pena então  –  Essa frase tem me perseguido -.

Se viver requer coragem então, viva para ser feliz e não viver em vão

Conselho se fosse bom…

Como a maioria diz “se conselho fosse bom ninguém dava, vendia” , porém um dia um cara sábio chamado Salomão, disse que na multidão de conselheiros há sabedoria. Então fica a seu critério tá?

Hoje eu estava pensando sobre dor.

Durante essa minha longa vida (cof, cof) já ouvi pessoas me dizerem que eu era fria, durona, a que sabe superar dor, a que mesmo com o olhar triste exibia um sorriso, a que não demonstra ciúmes. A adulta né?   Ficava matutando, me interrogando se isso era uma máscara que eu andava utilizando.

Sabe, eu fui uma criança chata/ciumenta e chorona pra caramba. E hoje dessas coisas o que sobrou foi a chatice mesmo, até demais. Não consigo chorar tão facilmente mais, a não ser de alegria. Dor, não a física, mas a emocional não tem conseguido me arrancar lágrimas ultimamente. A não ser na TPM, que é um caso a parte. Porém tenho um punhado de melancolia, sou boba apaixonada/criativa/sonhadora/dramática. Sinto as coisas ao extremo. Sou louca vendo sinal de fumaça mesmo onde não tem fogo e não me pergunte como, mas costumo acertar nessas minhas doidices.  Penso o tempo todo. Sofro. Faço catarse disso tudo mais em texto do que lágrima de uns tempos pra cá. Eu passo longe de ter um coração gélido.

Eu tive que aprender a duras penas é que a dor vai vir e até fazer uma bagunça, mas uma hora ela tem que ir embora.  Que a gente não supera nada no grito ou no choro. O mundo não vai parar porque eu ando sofrendo e eu não posso parar tudo porque eu ando mal. A vida tem que continuar.

Uma coisa que eu vejo muito são pessoas que se deixam dominar pela dor, e que ao invés de transformarem essa carga em um trampolim são esmagadas por ela. Largando coisas pela metade, jogando tudo pro alto, achando que é o fim. Eu sei que a gente não pode julgar a sensibilidade do outro, cada um sabe onde e como o calo dói, mas será que a melhor maneira em uma situação dessas é se deixar dominar?

Quando passamos por uma situação difícil precisamos de um período mal mesmo. Precisamos tirar um tempo para viver o luto, digerir tudo, falar poucas e boas, pensar, comer sorvete vendo filme triste e até postar frases tristes no Facebook  ISSO É NORMAL GENTE! Mas isso é só um período, ou pelo menos deveria ser. O preocupante é gente que passa o ano todo desse jeito, a vida toda as vezes. Entra ano e sai ano e problemas não são digeridos. Gente carregando dor de 1500 anos antes de Cristo (isso foi uma ironia) porquê não consegue superar,  são engolidas por essas dores e estagnam. Nós vamos sofrer.  A gente vai se decepcionar e decepcionar pessoas. Relacionamentos não vão dar certo. Pessoas irão morrer. Vamos ficar desempregados, doentes. É a vida e quem te disse que seria fácil bebê?  Esses momentos vão acontecer a gente querendo ou não, mas fica a nosso critério o que fazer nessas situações.

Voltando a lá no começo as pessoas que me falaram que eu era fria, durona e blablabla. Me interrogando sobre isso vi que esse era o meu jeito de superar as coisas. Eu sofro sim, tiro meus dias pra ficar mal, mas minha vida não pode parar. Eu choro sim, mas eu preciso enxugar a lágrima porque tem todo um dia pela frente. Tem horas que a gente precisa guardar a nossa tristeza no bolso para outra pessoa irmos alegrar, acontecendo muitas vezes de acabarmos nos alegrando também.

E chega um hora que eu penso: Ok,  já doeu o que tinha que doer, bora superar isso né Duda? Esse drama tá chato!

E com isso vejo o que dá pra mudar, o que preciso fazer. Tento começar a olhar para a situação de frente até ela não doer mais.  Faço listas. Tiro dias pra cuidar de mim, fazer o que eu gosto e seguir a vida. Superar é isso, não é fugir das situações que causam dor é passar por elas  e vê que não machucar mais, ou no mínimo doem menos do que antes.  Além do que, eu não sei ficar contando minha dor aos quatro ventos, não por orgulho mas por achar que isso muitas vezes não vai acrescentar em nada a outra pessoa e nem a mim. As vezes a gente só que falar da dor, a gente não que ser aconselhada. Então nessas horas vou lá desabafo com quem confio e procuro não ficar remoendo isso com os outros. Guardo meu drama pra mim ou melhor entrego pra Deus.

Sabe aquela música Não tenho tempo pra perder com ressentimentos quando penso que Ele me ama é bem isso!!  Uma hora para de doer e a cura chega quando a gente entrega tudo para Ele e permitimos sermos curados. Permitimos que a ferida cicatrize e paramos de arrancar a casca quando lembramos que Ele nos ama.

Outro caso, tem drama que não vale a lágrima. E ser for pra sofrer que seja de verdade pelo menos né?

Em relação ao ciúmes, como diz uma música dos Paralamas “Todas as formas de se controlar alguém, só nos trazem um amor vazio”, não acho que ciúmes é a melhor forma de exigir amor/atenção/reconhecimento de alguém. Para mim essas coisas a gente não exige, a gente ganha. É presente. Eu sinto ciúmes, mas não sei ser a louca que dá piti. Eu devo ser orgulhosa demais para fazer ceninha, sei lá. Acho muito mais fácil ironizar demonstrando o ciúmes ou chegar e dizer “Tô com ciúmes”  do que arranjar briga, fazer cena ou exigir alguma coisa. Desculpa sociedade eu sou assim, deu certo pra mim. E isso me poupou e poupou outras pessoas, de poucas e boas. E ciúmes não é demonstração de amor e sim de insegurança, pelo menos pra mim.

Não, não sou a pessoas mais centrada, madura do mundo, mas tento seguir isso tudo. Penso que a vida é importante poxa. Tanta gente aí querendo viver livremente, curtir e não consegue seja por uma doença, limitação, prisão ou problemas muito mais graves e a gente vai ficar mesmo se deixando abater pelos problemas?  Ou pior por problemas imaginários? Cadê a liberdade que vivemos dizendo que Cristo nos dá? Ele não levou sobre si as nossas dores?

Paremos de fazer tempestade em copa d’agua. Deixa o drama pra arte.

Diga a verdade seja sincero com você, fica mais fácil depois ser com os outros.

PENSE.

Na dúvida pergunte. Na dúvida, diga.

Sofra.  Chore o que tiver de chorar, viva os seus períodos de luto, mas SUPERE. A vida continua, acredite!

Nenhuma dor é em vão, vira experiência pra você e na maioria das vezes para outros.

Bora ser feliz,economizar no Botox, porque tristeza envelhece gente!

Ouça as pessoas. Analise tudo, retenha o que for bom.

Você só tem uma vida, então trate de a fazer valer a pena .

E antes de você achar que isso é só papo auto ajuda, tá na bíblia tá :]

Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias da tua vida vã, os quais Deus te deu debaixo do sol, todos os dias da tua vaidade; porque esta é a tua porção nesta vida, e no teu trabalho, que tu fizeste debaixo do sol
Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma. 

Eclesiastes 9:9-10

Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança.
E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.

Tiago 1:2-4

Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida que Deus prometeu aos que o amam. 

Tiago 1:12

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação, que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações. 

2 Coríntios 1:3-4

… mas ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom

1 Tessalonicenses 5:21

Como eu sempre falava com uma amiga minha durante uns perrengues da vida “Um dia a gente ainda vai rir disso né? ”,  a situação passou e a gente riu mesmo. Tudo passa, até uva passa. He he he

Eu tento daqui e você tenta daí combinado?

#Musica | Nível Raso – Rodolfo Abrantes

Me mantendo firme, mesmo quando esse chão se move
Olhar pra baixo não resolve, só assombra…
De onde estou já não há volta
E não há nada a minha volta.

Eu não consigo ver
Não sei onde está você,
Me sinto só…
E começo a esperar pelo pior

A luz do barco está bem longe
Enquanto minha voz não sai
O medo me responde

Eu fui além do que é possível ao homem
Mas eu parei, agora as águas me consomem
Pensamentos maus pesam
Meus temores desprezam o que me fez sair…
O que me trouxe até aqui…

Pois sem fé é impossível agradar a Deus
Eu não quero terminar assim

Eu não posso me conformar
Com esse nível raso
O meu poder humano
Não tem poder pra trazer o teu reino aqui
Minha porção vem do céu
Eu tenho fome de ti, senhor
Fome de ti, senhor

O vazio que eu sinto
Quando preencho o vazio do abismo
Porque eu não quis mudar,
Só vai passar se a porta ainda estiver aberta pra mim
Se houver uma chance pra recuperar o tempo que perdi.

Enfim, envolto em algas e águas amargas
Senti na pele a dor das almas não alcançadas por mim esquecidas
Fariam de mim um homicida?
E a vida que eu quis tanto preservar lhes traria vida?

Só tenho tempo pra orar, sei lá,
Será que a voz que chamou
Ainda pode me escutar?
Só há um jeito de sair
E continuarei daqui
Como se fosse quando a missão ele me trouxe

Pois sem fé é impossível agradar a Deus
Eu não quero terminar assim

Eu não posso me conformar
Com esse nível raso
O meu poder humano
Não tem poder pra trazer o teu reino aqui
Minha porção vem do céu
Eu tenho fome de ti, senhor
Fome de ti, senhor

Que eu me amarro em rock, em Rodolfo Abrantes e que ouvi esse som batendo cabeça e pirando na guitarra é fato. Guardei esse link faz umas duas semana e só agora fui parar pra ouvir o vídeo. QUE LETRA! Estava no meio de um devocional e do nada resolvi colocar essa música de fundo, sim eu recebi como resposta.


Minha porção vem do céu ♫

17.6.12

Vendo o lado bom da coisa…

Meu pc ia ser formatado por conta de uma ataque de vírus potente que ele sofreu. Até ai tudo bem minhas fotos, músicas, textos e filmes estavam guardados protegidos em outro disco rígido dentro dele. Só que como a Lei de Murphy atua muito bem na vida da pessoa aqui e o pc foi TOTALMENTE formatado por acidente. Acabou. Finish. Foi se embora as fotos dos casamentos, festas, congressos, aniversários, momentos, shows foi embora todos os registros das lembranças bacanas que eu carrego comigo. Lembranças de gente que nem vejo, falo ou convivo mais. Lembranças de um passado bacana que não volta. Eu quis matar, estrangular, cortar em pedaços e fazer uma fogueira com quem fez isso e ver queimar, mas enfim, devo amar muito a pessoa porque a raiva passou e ela continua viva e eu nem dei um soco nele. Olha como eu sou boazinha? Ou idiota? tô na dúvida.

Depois do nervosismo e quase desespero tentei enxergar o lado bom disso, se é que há, vi que isso podia ser sei lá um jeito de abrir espaço pro novo fazendo uma limpeza geral . Tive aquela sensação de caderno novo no inicio do ano, ele está lá branquinho, sem marcas, com cheiro de novo e a gente fica cheio de cuidados, zelo e ansioso pra usar. Vi que perdi registros de algumas lembranças que eu na verdade nem olhava mais, não por ser uma Cruela Devil de coração de pedra, mas por simplesmente não fazer mais sentido.  Guardava por ver que eram bacanas e me faziam soltar sempre um sorriso ao ver aquelas fotos,  mas não se encaixavam mais sabe? Algumas pareciam historias que me contaram, não que eu escrevi. Louco isso  soa até meio insensível,  mas era assim como uma parte boa da vida que ficou na lembrança, agora inevitavelmente só mentalmente mesmo, mas que passou.

A vida é meio doida (ou nós que somos? sempre fico na dúvida! ) as coisas passam e você vê que certo mesmo só a morte e o amor de Deus. O restante tudo passa, a gente querendo ou não. Se acostumamos muito fácil com o comodo “se está dando certo mudar pra que? Deixa assim mesmo!, deixamos de ousar. Estagnar é muito fácil e estagnamos ao deixar de conhecer gente nova, ir a lugares diferentes, pensar diferente porque se acostumamos com o “de sempre”. Tem coisas que precisam passar, precisam ir embora para outras chegarem. As vezes algumas “certezas” precisam ser repensadas, outras precisam ser feitas/ refeitas para que cresçamos de alguma forma. As vezes pessoas tem que ir pra gente repensar o que sente, o que vê e até quem somos. As vezes elas voltam, outras não. As vezes elas vão e mostram que precisam voltar, ficar ou outras vezes mostram que é melhor mesmo irem. As vezes pessoas precisam seguir para o bem delas e até pro nosso. Ok, pode parecer que eu estou falando só de alguma apaixonite que foi embora, mas falo de modo amplo de todos os cargos que as pessoas podem ocupar na nossa vida.

O legal é isso você viver, se doar, amar enquanto for presente porque a vida pode virar, sacudir tudo e você não ter mais a pessoa li ou você não continuar mais lá. A cada dia basta o seu mal. Não sei onde li  algo que dizia que o passado passou pleonasmo oi! e o futuro é uma projeção o que existe de verdade é o presente. Desperdício de vida você viver lá atrás ou lá na frente e não viver aqui.  As lembranças físicas foram apagadas, mas continuam aqui dentro e na boa não inventaram máquina fotográfica tão precisa que registre sentimentos, a sensação de um beijo, o calor de um abraço ou os laços invisíveis que existem/ existiam. O jeito é correr atrás de novos registros e se contentar e soltar sorrisos involuntários ao lembrar daquelas lembranças. É isso.

P.s: Usei quase todos os mecanismos de defesa do meu ego para superar o fato, Freud me entende. =p

O tema é: “o que fazer da vida”

 

3269734345_a657bbf083

Lute para não ser um religioso, porque o mundo é feito de pessoas como você. Um dia você precisa delas, e no outro dia, também.

Tente enxergar a sua cara no espelho, sem absolutamente nada entre a pele e o vidro. Um dia você verá Deus face à face, mas enquanto isso não acontece, lembre-se que ele já te enxerga assim. Sem máscaras.

Seja bacana. Você não precisa ser bonito, nem magro, nem saber dançar para ser bacana. Ser bacana é ser você mesmo, é ser seu fã. Não há egoísmo aí. Há a leve certeza de que você foi criado para alguma coisa e que o único jeito que você poderá ser feliz, é cumprindo esse chamado de ser o que você é.

Não tenha medo.

Não entre debaixo de pensamentos que não combinam com a liberdade.

Chore na presença de Deus.

Sofra pelas coisas que você ama. Acredite nas coisas pelas quais você chora. Não gaste sentimentos em vão como se eles estivessem num estoque, mas evite desperdiçá-los porque enquanto você faz isso, as experiências valiosas e reais podem passar sem você ver.

Honre os seus pais. Fica ainda mais legal quando seus amigos descobrem que isso não é uma coisa de mané, e sim uma arma poderosa contra a falência do seu futuro.

Corra atrás do seu chamado. O seu chamado na maioria das vezes, é aquilo que você gosta de fazer, só que potencializado pelas mãos de Deus. A parte boa da história é que nessa pegada você pode descobrir coisas que pensava não saber fazer, pessoas que não imaginava conhecer, e o fato de você pagar certos preços de dor e entrega, farão mesmo assim, você se sentir a pessoa mais feliz da terra.

Não pense que ter uma banda, ter algo a dizer, destacar-se na sua área, viajar para outro país, se vestir de um jeito inusitado e viver milagres, não seja uma coisa pra você. Isso sim seria um egoísmo.

Tenha um Deus não porque é moda, porque a cada semana lançam livros sobre isso, ou porque você precisa de um amuleto qualquer. Tenha um Deus simplesmente porque você tem um espírito feito para recebê-lo e sedento por coisas maiores e perfeitas. Se você tem onde colocar Deus na sua vida, então tudo poderá ser infinitamente melhor do que todos os livros que os poetas possam escrever. Mas se você preferir ter apenas uma religião desconsidere o prazer de ser filho de Deus e usado por ele.

Não fuja da guerra.

Não fuja das pessoas que tentaram te ensinar alguma coisa.

Aprenda a voltar.

Aprenda a ir embora.

Aprenda a falar não.

Procure por Deus onde ninguém procurou. (Pode ser numa música qualquer, num filme aparentemente normal, numa conversa).

Queira se casar, ter filhos e tratar isso da melhor forma possível. Não é papo de babacas, é papo de quem quer ser realizado na cama e em todos os outros lugares.

Enfrente o inimigo. Ele é real, ele quer te matar, te roubar e nos mínimos detalhes, te destruir.

Entenda que atitude e posturas causam mais efeito do que berros.

Ouça as histórias que as pessoas têm pra contar. Talvez você carregue a solução para que os finais sejam felizes.

Multiplique seus talentos. Ensine, divida, aprenda, faça por amor e não só por dinheiro.

Aceite que a vida pode ser muito boa, mesmo em meio à crises, doenças e solidões.

Não subestime suas orações.

Imite quem você ama.

Tenha uma aliança com você mesmo. Com seus valores, com as coisas que você quer conquistar e as coisas que você se propõe. Sem ter essa aliança você nunca poderá amar alguém como a você mesmo. É necessário gostar-se. Não há nada de errado nisso.

Não caia na rotina do erro, só porque você descobriu que existe perdão. O perdão é muito mais do que um pedido de desculpas. É a base de uma mudança real e sincera.

Divida suas músicas com os seus amigos.

Não seja preconceituoso. Você já estará perdendo a melhor parte de ser gente.

Acredite em palavras e no poder que elas têm. Se para bem, concorde. Se para mal, destrua.

Não seja um rebelde, mesmo se tiver uma boa causa para isso. Prefira ser um inconformado. As chances de revolução serão muito maiores neste caso.

 

Vi Aqui ó UMPONTOUM