Tentativas, esperas e escolhas.

Uma hora as coisas cansam, ou tem  que parar, de dar errado. Antes de dar certo tudo antes exige um processo. Todo mundo carrega um histórico de frustração, perda e erro antes de alcançar aquilo que se queria. Um punhado de tentativas faz parte do processo de aprendizagem.  A gente cai, quebra a cara e rala o joelho bastante antes de aprender a andar sozinho. E quando pensamos que não, quando o coração distrai a “sorte”, o amor, o final feliz e aquilo tanto um  dia desejado vem. Quando a gente se acalma se preocupamos menos  paramos de gritar e fazer pirraça. Aprendemos a  lição e recebemos a recompensa quando crescemos. Sem essa aprendizagem, sem ler o manual poderíamos quebrar o “brinquedo”. Mas será que deveria ser assim? Será que para aprender precisamos sofrer? Quebrar a cara e errar bastante?

A quem diga que inteligentes aprendem com seus erros e sábios com os erros dos outros. Não precisaríamos ir lá, prosseguir em um caminho que já vimos outras pessoas irem e se darem mal. Não precisaríamos cometer os mesmo erros, as mesmas falas, falhas e equívocos se já vimos outros seguirem a mesma cartilha e se frustrarem. Mas por que fazemos isso? Por que seguimos?

Porque ser humano gosta de pagar pra ver.  A gente carrega a esperança de que acontece com todo mundo menos conosco  – Comigo vai ser/seria diferente – diríamos.  Então vamos lá, tentamos, se desgastamos, sofremos e se frustramos. Há seres inteligentes que aprendem com o erro e buscam outros caminhos. Há quem prossiga tentando no mesmo caminho e esperando resultados diferentes.  É coisa de gente. Dizem que gato escaldado tem medo de agua fria, ser humano não. Por mais que quebremos a cara tentamos outras vezes pagando pra ver. E se prender ao medo ganho na ultima frustração, não tentando outra vez, soa como covardia e dói mais do que ir lá e não conseguir.

Gente é assim. Não precisaríamos passar por certas situações ou dores, mas passamos por conta dessa esperança de que pode ser diferente, tudo pode mudar. A opção de dar certo nos motiva a tentar. E tentamos. Às vezes conseguimos outras não, mas tentamos.

Em um desabafo com um amigo disse que sairia de uma situação com a certeza de que tentei, fiz o que podia, mas não deu. Sairia com a consciência limpa e sem os “e se…” que podem nós perseguir a vida toda. Ele argumentou sobre a vergonha, a burrice e até frustração dessa minha tentativa, respondi que sairia com a consciência limpa de que tentei e fui real, por isso valeu a pena. Tem situações que precisamos pagar pra ver. Há situações que valem o risco, valem a pena a tentativa. Outras não. “Pelo andar da carruagem você já sabe quem vem dentro dela. “ E nós sabemos quando algo vale a pena, é verdadeiro ou não, porém muitas vezes preferimos se enganar.

As vezes o que precisamos é pensar. Pensar se aquilo é o que queremos mesmo. Se vale a pena o esforço. Se é real. E se você tem relacionamento com Deus, saber se aquilo é o que Ele quer pra você. Eu sei que esse papo todo parece desabafo de fim de namoro, mas não. Essas tentativas, frustações e riscos envolvem tudo. Desde a carreira que você quer seguir até o caminho que você resolve fazer na volta pra casa.  São escolhas que envolvem desde o roteiro para o próximo feriado até o destino da tua alma. São escolhas, e uma escolha pode mudar tudo pra melhor ou pior.

Andei lendo que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus. TODAS as coisas, até os seus erros de percurso e tentativas frustradas. Deus pode pegar esse punhado de coisas e transformar em experiência, te fazendo até enxergar coisas que você não enxergaria se tudo tivesse certo. Tornando-te adulto através dessas coisas. Essa não seria a melhor forma de aprender a lição, mas você quis assim, então Ele faz tudo cooperar para o seu bem pois  você o ama. E você só o ama pq Ele te amou primeiro.  Então Deus vai lá, te ensina, te limpa, corrige e te mostra o caminho certo a seguir. Dando novamente as escolha em suas mãos,  de aprender com o erro ou continuar dando murro em ponta de faca.  Ai, ai… ESCOLHAS.

Como já disse  tem situações que queremos, não precisamos, pagar pra ver. Há situações que valem o risco, valem a pena a tentativa. Outras não. “Pelo andar da carruagem você já sabe quem vem dentro dela. “ .Repetindo.

Tentou, mas não rolou? Bola pra frente. Arquiva como experiência.

Só não se pode matar a esperança de que as coisas podem mudar, pra melhor de preferência, sempre. Tudo  vêm quando tem que vir e se não veio até agora é porque não é a hora ainda. E só Deus sabe quando será, o que sobra é utilizar esses tempos de esperas como escola para aperfeiçoar quem você é ou faz. Se distrair para apressar, é um truque. Desde a vinda do carinha, viagem, facul, cura, libertação, milagre, FDS até o arrebatamento há períodos de espera. Vivemos em meio a esperas. Vamos se deixar sufocar por elas?

“Mas os que confiam no Senhor, renovarão suas forças. Subirão com asas como de águia. Correrão e não se cansarão, caminharão e não se fadigaram.”

Isaías 40.31

Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor…”

Salmos 40.1

Apenas uma vida, que a façamos valer a pena então  –  Essa frase tem me perseguido -.

Se viver requer coragem então, viva para ser feliz e não viver em vão

Anúncios