Olhar perdido



Você do meu lado, sentado no sofá concentrado no filme que a gente planejou tanto e não conseguiu ver no cinema.  Já te disseram como você faz um barulho  irritante  enquanto mastiga ? Mesmo assim  você consegue continuar lindo.  É, eu sou apaixonada por você e achar até as suas unhas roídas uma graça faz parte do pacote. A gente está junto a tanto tempo  e eu sinto por você a mesma coisa que senti naquela  noite no portão da minha casa depois  de você dizer que me amava. Um misto de ansiedade, carinho, admiração e amor. Apesar de  eu rebater a sua declaração com uma lista dos meus defeitos, você me amou. Apesar de tudo continuou.

Engraçado como você sempre me transmite o mesmo amor que senti de você naquele dia,  em momentos simples como agora enquanto você coloca o braço em volta de mim, me beija a testa perguntando pela milésima vez qual a razão do olhar perdido. Apesar de tanto tempo você não se acostumou com isso, vou tentar explicar a razão desse olhar.
Sabe, naquele dia no portão  eu vi  em você uma chance de largar meus medos e se aventurar nessa história mesmo sabendo que podia dar errado mas cruzando o dedos para que desse certo dessa vez. E deu. Vi você ali falando a verdade  me oferecendo o coração de um cara com grandes planos, força para ir atrás deles, saldo zero no banco e o poder de me fazer sorrir sempre. Prometendo que cuidava de mim e que cedo ou tarde eu iria assumir que estava louca por você, pela primeira vez louca por um homem de verdade e o melhor de tudo que estava  pedindo o meu coração. E foi lá você me fazer gargalhar e o  pior é que a sua previsão deu certo.
Ninguém sabe como é único até ficar fazendo nada com você e como a gente já  passou da fase de dizer “eu te amo” toda hora pra provar sentimento para o outro. Hoje em dia a gente demonstra com atitudes e até um olhar fala mais que aquela frase. Não somos perfeitos, você é um chato implicante e eu uma chata neurótica  que até brigam e fica mal por serem tão chatos.Você conseguiu chegar e ser mais do que eu imaginava. Mais chato, mais irônico, mais sincero, mais reservado, mais falante, mais desligado, mais bonito, mais gentil, mais romântico, mais bagunceiro, mais companheiro, mais fofo, mais inteligente, mais engraçado, mais amor e mais, mais, mais.
Tão diferentes e tão iguais ao mesmo tempo, por isso acho que dá certo.  A gente dá certo mas também damos errado as vezes. Damos errado quando se atrasamos, não falamos, temos orgulhos, temos medo e falta a paciência. Falta o tempo, falta o parar e entender os lados. Damos errado quando discordamos e não vemos um lado bom nisso. Isso acontece por vezes e reconhecer isso acaba sendo um jeito de dar certo no final.
Aquele cara dos raros olhares vazios, abraços insossos ou medo de encarar as coisas de frente que me pegou pela mão naquela noite dizendo “Vem! pode dar errado e a gente sofrer, mas precisamos arriscar” e me passou uma segurança que eu nunca tive com ninguém antes é também aquele que tem  a mesma rotina agitada, revoluções internas, pensamentos a mil e uma sede por Ele. O cara que me faz dividir tempo, sonhos, choros, risos,  vida e até chocolate é o mesmo que acaba de colocar os braços em volta de mim, me beijar a testa e perguntar pela milésima vez qual a razão do olhar perdido. Olho, abraço e digo que estava pensando na vida. Te vê aqui do meu lado é um sonho com  todos os prós e contras da realidade. Agora você sabe o que posso estar pensando quando meu olhar se perder ao seu lado. Amo você vida, só pra reforçar.

Duda Borges

p.s:  EuLiricoModoOn

Redes sociais, julgamentos e “mimimi”

Internet dá uma liberdade né? Falamos o que quisermos sem o constrangimento de olhos a nos encarar. Vemos aqui a oportunidade de falarmos e sermos “ouvidos”, mas tem vezes que perdemos a noção.

Sabe é bacana compartilhar o que se sente seja em fotos, frases, músicas ou o que você fez, anda fazendo e vê pessoas se identificando. As redes sociais estão aí pra isso. O problema é você compartilhar coisas suas que não deveria ser ditas para desconhecidos, seja por reserva, segurança ou semancol mesmo. Nem todo mundo precisa saber como você terminou seu namoro e seu ex não presta, ou quantas “minas” você pegou na noite ou como sua mãe pega no seu pé e daí pra pior.  Esses problemas são seus e quando você os expõe nas redes sociais dá abertura a pitaco, comentários e críticas alheias. Como diz o ditado “quem fala/digita o que quer, ouve/ler o que não quer”. A coisa complica quando queremos sair por aí falando o que bem entendemos e caso recebemos uma resposta contrária, se ofendemos achando que estamos sendo julgado. Sim, você está sendo julgado. Quando você se cadastra numa rede social e expõe sua vida ali você está aberta a julgamentos.

Segundo o Aurélio julgar é:
1. Decidir como juiz ou árbitro:
2. Dar sentença, sentenciar.
3. Supor, imaginar, conjeturar:
4. Formar opinião sobre; avaliar:

Fico com as duas últimas definições. Ali você está dando essa liberdade das pessoas suporem, imaginarem e formarem opinião sobre você através de suas postagens. Se elas vão formar um julgamento justo ou vão tirar prova se ele está certo ou não é outra história, mas elas vão se basear naquilo que você expõe. A gente vive sendo julgado e julgando também. Nasceu? Pronto você está aberto a julgamento. Julga-se tudo desde atitudes, falas, pessoas até a blusa que você estar vestindo. Ela também sofreu um julgamento, uma avaliação, você julgou que ela era adequada pra ser usada hoje não? E ainda vai ser julgada pelos outros, vejam só.

A mais ninguém pode julgar ninguém?

Mateus 7 fala que seremos julgados por Deus com a mesma rigidez que julgamos os outros e manda-nos tirar a trave do nosso olho antes de retirar o cisco alheio. O condenado aqui é o julgamento hipócrita , onde, eu ando todo errado e quero pagar lição de moral em cima de alguém. Julgamos porque vivemos formando nossas opiniões e nossos julgamentos sobre os outros serão benéficos se funcionarem como exortação, ensinamento e não somente um jeito de nos mostrarmos superiores.  Cristãos baseiam julgamentos  na bíblia, ou pelo menos deveriam.

“Prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina, pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se a fábulas.” 2 Timoteo 4:2-3

Li uma frase que parafraseando dizia que pessoas maduras melhoram com os elogios e críticas, creio que com julgamentos também funcione assim. A gente através deles pode começar a enxergar coisas que não víamos, mudar ou reforçar nossas convicções. Passar um filtro nesses julgamentos que fazemos e recebemos e aproveitar o que for bom é o melhor. (1 Tessalonicenses 5:21)

Voltando, a questão é “se não sabe brincar não desce pro play” ou desce e aprende . Não expõe sua vida em uma rede social, contando seus segredos ou sentimentos se você não tem maturidade/paciência para ouvir julgamentos. Sãos questões suas que você colocou na roda de conversa então vai ter que aguentar as opiniões alheias sendo elas boas ou não. Na dúvida escreve e guarda, quando a poeira baixar se for conveniente você posta. Só não vá se abrindo na net e depois venha de “mimimi” dizendo que o povo cuida da sua vida. Pelamor né.

Duda Borges

p.s: Eu já tinha escrito umas 5 linhas de um texto revoltado sobre pessoas e seus “mimimis”, redes sociais e como aquilo lá tem virado diário que a gente acaba sabendoo detalhes “sórdidos” de fim de namoro, amizade, e esses temas de “Caso de família” mas apaguei. Deixei essa versão mais soft.

P.s ¹: É eu adoro p.s’s já deu pra perceber…  (:

Vale o clique pra complementar:  Devemos julgar?

Isaías e o que ele me ensinou no onibus

É muito complicado conviver. As vezes brinco  dizendo que o mundo é perfeito o problema são as pessoas, brincadeiras a parte , conviver é difícil. Acho que exige uma certa maturidade. Maturidade pra não fazer as coisas do nosso jeito, pra não fazer birra, bico, ou seja lá qual for seu tipo de pirraça. Maturidade pra ouvir, pra calar ou falar mesmo o que precisa ser dito. Para construir relações duradouras, sejam elas qual forem , é preciso maturidade. É difícil ser maduro, leva tempo.

Vim hoje dentro de ônibus ouvindo “Isaías 6” do Rodolfo Abrantes, e sabe quando você fecha os olhos ouve a música, viaja nela e sente por um momento que você não estar mais ali? Sensação única. No meio da música ele ler essa passagem, que eu já conhecia, mas ela soou diferente hoje à tarde. Na parte que Isaías se prostra e diz que é um homem de lábios impuros, e vem um anjo purifica os lábios dele com uma brasa do altar dizendo que a iniquidade dele havia sido retirada e os pecados perdoados. Logo depois Deus pergunta a quem enviarei? E Isaías se prontifica dizendo: – Eis me aqui. Envia te a mim. Percebe que Isaías se prontificou a ir depois que ele foi purificado? Aquele encontro promoveu uma mudança real nele que o motivou a ir. Ele não precisou ser chamado, Deus não precisou mandar um sinal, chamar pelo nome, pegar pela mão e arrastar. Foi natural, ele foi transformado logo motivado a si entregar, a ir se prontificando a obedecer.

Imagina uma multidão e alguém perguntando quem ele pode chamar pra ajuda-lo em uma tarefa e aparece um cara lá na frente pulando, lançando os braços no ar e dizendo: Eu aqui! Eu vou!! Eu vou!. O que motivaria esse cara a fazer isso? Proatividade? Satisfação em ajudar? Prazer em ser útil? Gratidão? Bondade? Amor? Todos esses motivos podem ter motivado Isaías, mas o maior deles foi a transformação que ele sofreu.

Quando Deus nos transforma, toca na gente Ele não precisa mandar sinais escalafobéticos, gritar o nosso nome ou nós colocar contra a parede mandando obedece-lo. Você simplesmente vai, a transformação te motiva a ir. A transformação mexe tanto com você que você não se contenta em ficar parado, você quer se mover, agir ser útil de alguma forma. Quando Deus nos toca Ele nos tira do comodismo, da zona de conforto. As vezes não é de sinais que você precisa para ir, mas sim de transformação de mente e coração para ser proativo.

Lembrei da minha mãe quando pergunto por que ao invés dela ficar reclamando ela não manda logo eu ir fazer as coisas? Ela sempre responde que tem coisas que você não precisa que te mandem fazer, você sabe que tem que fazer . E o que isso tem a ver com conviver com as pessoas? A gente as vezes usa elas como desculpa para não ir ofuscando a transformação, se a sofremos mesmo, que sofremos.

Doeu em mim.

É, essa foi a lapada que levei dentro de um ônibus vindo trabalho.

Duda Borges

p.s: Comecei falando de assunto e terminei em outro, não sei se pra você fará tanto sentido quanto pra mim fez.

Planejar ou não planejar? Eis a questão.

Imagem

Sim eu sou ansiosa por natureza. Sou daquelas que quando encuca com alguma coisa gasta tempo, pensamento, papel, caneta, força e o que for preciso pra colocar em prática. Senta, planeja , escreve, escreve, escreve, ora. Surto de entusiasmo que já me motivou a começar muita coisa, umas que perduraram, outras que mudaram no meio do caminho e outro bucado que ficou no papel. Eu penso demais e se tenho tempo livre minha cabeça viaja. Já perdi noite de sono planejando e pensando. Já fiz malas e planos que tive que desmanchar antes de terminar o dia porque não saíram como eu planejei. Já tive que me organizar as pressas, porque de repente as coisas funcionaram.

Um casal me disse essa semana que ouviu um desses caras que dão palestras motivacionais dizendo que 99% das coisas que planejamos não acontecem. Na hora titubeei, pera lá, o que seria do mundo sem planos? Ora, imagina se as coisas fossem feitas de bate -pronto?

Eu compulsiva/planejadora de listas, que vão desde do que levar pra praia até o que eu quero fazer antes de morrer, não conseguiria não planejar. Preciso planejar. Acho que porque sinto um certo poder nisso, parece que as rédias estão nas minhas mãos e o plano traçado.  Mas pensando bem até onde o casal e o palestrante estão errados em?

Pensando cá com meus botões, vi que as coisas mais bacanas aconteceram sem eu planejar. Como fazer uma faculdade que não imaginava e quando eu menos imaginava, os trabalhos que consegui, os beijos que tive, as amizades que chegaram,  passaram, continuaram. Responsabilidades que recebi. Lugares que fui. Coisas que falei, outras que vi, ouvi, vivi, umas que chorei e nessas até cresci. Sério, vou pirar. As coisas mais legais, inesquecíveis aconteceram quando eu menos esperei e aquelas que montei listinhas, decorei falas, ensaiei cenas, planejei rotas e até 2º plano não rolaram. Louco isso. Seria um sinal pra parar de criar expectativa e deixar as coisas rolarem? Seria um sinal pra parar de fazer listinhas? Parar de planejar? Sonhar? Para o mundo que eu quero descer.

Não, creio que não. Acho que é uma forma Dele mostrar que seus pensamentos são maiores e melhores do que os meus e por mais clichê que isso possa parecer Ele pode escrever certo por linhas tortas, retas, circulares, tracejadas. Ele é Deus poxa. Pode ser uma forma Dele dizer: – Vem cá Duda tá vendo esse seu plano aqui ele é bem bacana, mas olha o que eu posso fazer. Sente só! E me fazer soltar minha frase de sempre: – Ele sempre me surpreende! *-*

Não sei se vou conseguir explicar isso, mas acredito que Deus pode plantar sonhos em nós. E dizer assim: – Tá vendo esse sonho aí, foi eu que te dei. Parece louco né? Meio impossivel? Mas você consegue! Te fiz sonhar porque eu consigo realizar, olha pra mim. Aqui começa a sua fé pode deixar que eu aperfeiçoo. Aí a gente sonha, planeja e – ploft – erra. Erra quando a gente esquece a segunda parte do que Ele disse e acreditamos que conseguimos fazer tudo sozinhos e nisso vai embora um bucado de saliva, papel e energia, quando não vai a vida.

A gente tem que sonhar para se organizar, ver o que precisamos fazer qual é a nossa parte no plano. A certeza se vai dar certo ou não, ou como vai acontecer não depende da gente, mas Daquele que plantou o sonho. E se este plano ou este trabalho vem de seres humanos ele desaparecerá, mas se vem de Deus nada poderá destruí-lo pois neste caso estariam lutando contra Deus. (Atos 5.39) Sentiu a pressão?

Como esse texto que saiu sem eu se quer ter pensado nele. Ia postar só a foto que adorei e um rascunho sobre fé que fiz. Saiu o texto que até que achei legal e o rascunho nem entrou. As coisas não saírem como você planejou não é um sinal para parar de sonhar e começar agir no improviso, mas um sinal para você saber a quem entregar seus planos e redirecionar seus esforços. Expectativas são boas sim, são como água para as plantas, elas ajudam a fortalecer os sonhos, florece-los. Basta pensar de onde ou em quem você tira/deposita expectativa.

Não presumas do dia de amanhã, porque não sabes o que ele trará. Provérbio 27:1

No amor paciente e [extremamente] gracioso de Cristo,
Duda Borges

P.s: Gente o contador roda, vem gente aqui mesmo Oo. Não sei se por acaso, se pela busca por imagens no google ou porque já conhecem, vem gente aqui mesmo sem eu divulgar, porque morro de vergonha que gente conhecida me leia, fico sem graça. Olha que nem posto os textos constrangedores em … Hehe‘ mas é,  isso é legal. Muito legal mesmo. Valeeeu! ^^

Você tá aí (?)(!)


E agora você tá aí com esse coração despedaçado e achando que o ser humano não presta.

E agora você tá aí com um monte de planos nas mãos, o medo gritando de um lado, a coragem sussurrando do outro e você não sabendo a quem dar ouvidos.

E agora você tá aí com uma vida inteira pela frente ou contando os dias pelo fim que lhe resta. Você não sabe.

E agora você tá aí tentando achar um sentido pra levantar da cama, dar start no perdão, limpar a mente e inovar. Uma vez na vida inovar, tentar outras formas de levá-la já que as usuais não tem surtido efeito.

E agora você tá aí com gosto amargo na boca, pele fria, sinal de cansaço dando replay na cena em que um coração se espatifa no chão como um vidro. Seria até bonito vê os cacos voarem se o coração em cena não fosse o seu.

E agora você tá aí triste ou feliz, inteiro ou despedaçado, procurando um jeito melhor de se viver. Não se acostumando com essa ideia de morrer. Não se adaptando a sofrer.

E agora está aí, está aqui, está em todos os lugares Ele que dizem que pode dar sentido a vida. Ele que uns dizem não existir, outros tem certeza que sim e afirmam que bateram um papo com Ele logo de manhã. Ele com um mistério e uma grandeza que você não consegue entender. Alias, quem disse que você precisa entender tudo mesmo? Dizem que ele é Deus não é? Se os “deuses” gregos não eram previsíveis, imagine o Deus.

E você acha até que é meio “modinha” dizer que conhece Deus. Hoje em dia todo mundo vive conversando com Ele, dizendo que ele disse A, B, X.

E agora você tá aí com essa sensação de nunca ter nem ouvido a voz Dele. Será mesmo que Ele existe?

Agora você tá aí cercado de teorias, correntes filosóficas, vídeos, textos, cientistas, teólogos, sua avó “penteca”, o professor ateísta tentando provar ou negar a existência Dele. Para alguém que pode nem existir ele anda causando muito burburinho, você pensa.

E agora você tá aí sozinho, com a cabeça lotada de questões: E se nada for acaso? Sse a vida tiver um sentido maior? E se existir céu e inferno? E se existir mesmo esse Deus ? Ele vai mesmo me amar?

Você começa a falar sozinho igual a sua avó costuma fazer ajoelhada, ela diz que é oração, pra você sempre foi maluquice.  Você ri se pegando fazendo o mesmo e pensa que deve estar começando a ficar louco. Meio sem jeito acaba dizendo: – Olha eu não sei se você existe eu nunca te ouvi, quem dirá vê, mas vamos lá. Se você existe mesmo me prova? Eu só quero uma prova.

Você não ouve nada. Você não vê nada. Nem um jogo de luz, nem um anjo loiro surgindo pela parede, nada. Então desiste e se levanta. Sai andando pela casa, passa em frente ao espelho e se olha. Se olha nos olhos, repara no cabelo, nos traços e na sua respiração. E por um momento vem um pensamento: Você acha mesmo que cada detalhe foi mero acaso?

E agora você tá aí com esse frio na barriga e essa sensação de novo batendo a porta e você sabe como isso é bom.

Você mal sabe aonde acabou de se meter. Você creu. Você ouviu Ele.

” Naquele temp…


Naquele tempo, os jovens queriam ser adultos, a ordem era crescer e aí aparecer. Hoje os jovens querem ser jovens, estão conscientes da sua condição privilegiada, muito porque os adultos não conseguem esconder sua inveja – e seja com cremes rejuvenescedores ou carrões importados recomendados pelo Wagner Moura, querem soar eternamente jovens. Ninguém mais quer parecer velho, ninguém quer ter barba ou barriga, cabelos brancos só se idênticos aos daquele ator bonito e gostoso de Hollywood. A maturidade está fora de moda, é “old fashion”, não é “hype”, agora é outra “vibe”, cara.

Os jovens teriam mais juventude se passassem menos horas assistindo reality shows sobre gente rica, ou embriagados, ou se comparando no espelho, ou comentando em blogs e facebooks o quanto são “polêmicos” e “ácidos” e “cheios de opiniões”. Ser menos jovem não é perda de tempo, é investimento. Sei por mim, se eu soubesse que fazer trinta era tão bacana, teria feito há séculos. O que falta aos jovens é alguém para querer ser, quando crescer.

 

Gabito Nunes

Servir a Deus é antes de tudo uma honra! É a obra que se você não fizer, terá uma eterna frustração por não ser aquilo que foi feito pra ser.

Não se julgue um super-herói ou alguém que não erra… Saiba que você é falho… Mas a seu favor tem a Graça de Deus.

Servir, ser degrau para ajudar alguém a crescer. Isso é ser amigo. Isso é Evangelho. Cooperar é ajudar sem a pretensão de se tornar o primeiro.

A forma como você reage diante de uma circunstancia, mostra quem você é. Mude o foco! Entenda que mesmo com todas as suas dificuldades, o seu PAI não te abandona e ainda mais quando você decide fazer a obra dele e viver para Ele.

 

“Quão formosos são os pés dos que anunciam as boas novas.” Isaías 52:7


Felipe Heiderich
Pastor e apresentador de TV